Laiane Espósito : Julho 2017

sexta-feira, 28 de julho de 2017

Editora Selo Jovem

     Olá gente, tudo bem com vocês? Hoje eu vim falar um pouco da Editora Selo Jovem.
  A editora resolveu fazer diferente e formou uma amizade com nós,  blogueiros. E sabe o que é melhor? Não se trata de uma seletiva!  Isso mesmo que você leu! Você se inscreve, faz alguns procedimentos e se torna amigo da editora.
  Mas agora eu vou falar um pouco da editora para que vocês a conheçam.



Sobre a Editora :
   
    A selo Jovem atualmente é uma empresa independente, atua no mercado do livro desde 2013 e já possuí gráfica própria, distribuição própria, salão comercial próprio, tornando-se rapidamente uma editora com base sólida e confiável. O catálogo conta com mais de 50 títulos publicados, entre eles dois livros em destaque com o selo best seller.

    O objetivo da Selo jovem é publicar obras com 100% de qualidade literária, sem pressa e trabalhando duro na revisão dos textos. Contam com ótimos profissionais desde; diagramadores, revisores, capistas, design e uma gráfica de qualidade.

    A selo jovem foi fundada no mês de Março 2013, preparados para ingressar nesse mercado deram os primeiros passos e publicaram seus primeiros livros. Como toda empresa estreante tiveram problemas com preços, qualidade, e prazos. Mas jamais desistiram e continuaram trabalhando a fim de ganhar experiência e amadurecer a cada dia.

    Hoje contam com 50 títulos publicados. Recentemente adquiriram gráfica própria e passaram a produzir os livros internamente. Seus profissionais obtiveram experiência e aprenderam a trabalhar de maneira simples e objetiva, estão constantemente contratando profissionais na área de revisão e buscando por novos trabalhadores nas áreas de marketing e traduções.

 Além de um quadro profissional totalmente renovado, firmaram contrato com os correios e seus títulos recebem frete fixo para todo o território nacional. Seus livros possuem a mesma qualidade de outras editoras, todos os livros são costurados e colados, no papel pólen bold e soft, as capas são impressas em papel supremo e cartão triplex. Atualmente publicam livros nas medidas 14 x 21 cm, 16 x 23 cm e 12x 17 cm.

 Apesar de novos no mercado São conhecedores das dificuldades encontradas no Brasil, tanto para escritor e Edito

terça-feira, 25 de julho de 2017

Inspirações: Pausa para feminices

   Olá gente, tudo bem com vocês? Hoje eu resolvi trazer inspirações de maquiagens para vocês. 
    Eu escolhi a Pausa para feminices porque eu faço parte do grupo   Interative-se la do Facebook. Todo mês o grupo lança o desafio imagem/palavra para avivar a criatividade de nós blogueiros. A palavra que foi sorteada para mim foi pausa e o que eu pensei? Porque não fazer um post com inspirações no Pausa para feminices?  
 Bem,  chega de falar e vamos as inspirações.  

                   







    E como se não bastasse vocês poderem fazer makes  maravilhosas,  ainda dá para  vocês fazerem suas maquiagens inspirada naquela famosa que você ama.




     Esse foi o post de hoje, espero que vocês tenham gostado. Não se esqueçam de me contar qual foi as inspirações que vocês mais gostaram. 
      Beijos, fique com Deus. 

Este post faz parte do desafio imagem/palavra do grupo Interative-Se!

sexta-feira, 21 de julho de 2017

Mulheres da Bíblia: Léia



   Olá gente, tudo bem com vocês? Eu queria agradecer os comentários no post anterior, vocês são uns amores, muito obrigada.  Eu decidi mudar o dia das postagens da série Mulheres da Bíblia para a sexta feira, pois na Quarta fica muito difícil para postar. 
    Hoje é sexta e para estrear esse novo “horário” eu resolvi falar de Léia, irmã de Raquel.
    Se  eu não me engano Léia é a única mulher da Bíblia que é descrita como tendo os olhos “fracos” ou baços, isso poderia ser uma alusão a uma deficiência na visão ou apenas uma falta de brilho no olhar. 
    Ela se tornou esposa de Jacó através de uma trama do seu pai, já que a filha certa que fora prometida a Jacó era Raquel. Mesmo que a moça tenha aceitado participar da fraude, ela acabou sendo uma filha obediente.
    Obviamente Léia amava Jacó e por isso se devotou a ele no casamento, mesmo tendo sofrido por ter sido objeto da decepção e do desprezo do marido, assim como também por ser uma cúmplice do seu pai.
    Mesmo vivendo sob uma constante comparação com a beleza incomum de sua irmã, Léia não estava escondida dos cuidados de Deus. Ele permitiu que Léia ficasse grávida, enquanto Raquel continuava estéril e não é só isso, ela teve a honra de ser a mãe do filho mais velho de Jacó, coisa que era muito importante para uma mulher naquela época. 
    Ter ficado grávida fez com que a jovem achasse que ganharia o amor de seu marido, mas ela se enganou completamente. Durante a gravidez e o nascimento dos seus três primeiros filhos, Léia desejava que Jacó olhasse para ela, que a amasse assim como ela o amava, infelizmente isso não aconteceu.
    Léia tinha uma grande necessidade de ser amada, já que talvez ela nunca tenha sido, pois ela foi praticamente “vendida” pelo seu pai e seu marido amava sua irmã.
    No início do seu casamento, Léia só enxergava aquilo que lhe faltava e isso a fazia se sentir muito infeliz. Depois de um tempo ela muda o seu coração e sua visão de ver o mundo, ela resolve então, de uma maneira determinada, louvar e engrandecer a Deus. 
    E aí que vem o seu quarto filho. Durante o nascimento dele Léia diz: “Esta vez louvarei ao Senhor”. (Gênesis 29:35). Foi nesse momento que ela deixou de se ver como a desprezada e passou a confiar mais em Deus.
    Essa fidelidade que ela passou a ter no Todo Poderoso foi recompensada, pois o seu quarto filho, Judá,  é aquele que traça a linhagem messiânica. O Leão da tribo de Judá, Jesus,  é descendente de Judá e a linhagem de sacerdotes é descendente de Levi , o terceiro filho.
    Léia simboliza a necessidade que temos de viver essencialmente para Deus. Mesmo que ela não tivesse uma aparência atraente, não fosse amada nem desejada, de forma que chegou até a ser desprezada. Deus viu em Léia uma beleza interior tanto que a capacitou para cumprir os planos dEle.
    Ela não permitiu que as atitudes das outras pessoas a impedisse ou tirasse o seu foco da tarefa que Deus tinha lhe dado. 
    Léia não pode mudar Jacó, Raquel e nem a situação pela qual passou, mas ela pode mudar o seu modo de pensar e agir, foi através disso que ela enxergou a mão de Deus agindo em sua vida.
    Talvez você que está lendo estava passando por uma situação parecida com que Léia passou. Talvez você esteja sendo desprezada, não compreendida, se sentindo um lixo.
     Mas eu quero dizer que Deus não vê você da mesma maneira que as pessoas. Ele é o único que pode ver o que está no seu interior, Ele vê quando você coloca um sorriso no rosto quando tudo o que você quer fazer é chorar. Ele vê quando você erra, quando você sofre, quando você fica alegre, Ele vê tudo. Talvez você esteja passando por alguma situação em que você não pode fazer nada a não ser assistir, Léia também passou por Isso e, ela só vou a situação mudar quando começou a confiar em Deus. Quem sabe Deus não está esperando você confiar nEle, por completo, para Ele mudar a situação em que você se encontra.
    Esse foi o texto de hoje. Espero que Deus tenha falado com você.
    Beijos e até a próxima.

segunda-feira, 17 de julho de 2017

Resenha: Procura-se um marido (Carina Rissi)



     Olá gente, tudo bem com vocês? Hoje é sexta e dia de resenha aqui no blog. A resenha que vim trazer pra vocês eu escrevi a um ano atrás la no Tumblr. Como eu amei o livro, achei que seria super bacana recomendar aqui no blog. Espero que vocês gostem. Boa leitura.



  Livro: Procura-se um marido
  Autor (a): Carina Rissi
  Editora: Verus
  Paginas: 474
  Lançado: 2012

Sinopse 
Alicia sabe curtir a vida. Já viajou o mundo, é inconsequente, adora uma balada e é louca pelo avô, um rico empresário, dono de um patrimônio incalculável e sua única família. Após a morte do avô, ela vê sua vida ruir com a abertura do testamento. Vô Narciso a excluiu da herança, alegando que a neta não tem maturidade suficiente para assumir seu império – a não ser, é claro, que esteja devidamente casada. Alicia se recusa a casar, está muito bem solteira e assim pretende permanecer. Então, decide burlar o testamento com um plano maluco e audacioso, colocando um anúncio no jornal em busca de um marido de aluguel. Diversos candidatos respondem ao anúncio, mas apenas um deles será capaz de fazer o coração de Alicia bater mais rápido, transformando sua vida de maneiras que ela jamais imaginou.



    O livro  conta a história de Alicia, uma jovem rica que vive curtindo a vida sem medos. Até que um dia, seu avô morre deixando toda a fortuna para ela. Só que para Alicia receber a herança que tem direito, ela terá que estar casada por ano e enquanto isso não acontecesse a moça teria que trabalhar em uma das empresas do avô para se sustentar e ela não poderia continuar morando na mansão do seu avô, pois a casa fazia parte do patrimônio que a jovem herdaria. 
     Alicia, é claro, fica muito brava e acaba indo morar com sua melhor amiga. No outro dia, quando vai trabalhar na empresa do Sr. Narciso, ela descobri que vai ter que começar pelo cargo mais baixo da empresa e quando a moça pensa que não pode ficar pior aparece Maximus ou Max se preferirem, um cara lindo de morrer e inteligente que abala as estruturas da ruivinha.
     A partir daí, tudo parece piorar na vida de Alicia, porque o salário que ganha não é o suficiente para ela se sustentar, principalmente depois dos descontos que teve por chegar atrasada no serviço. Logo ela se vê desesperada e acaba colocando um anúncio no jornal procurando um marido. 
     Pensa em um livro engraçado, é esse. O modo como a autora criou Alicia, é fantástico! Ela pegou as características que faria a gente odiar em uma pessoa rica e fez a gente amar. Alicia é carismática, dramática e nos cativa do início ao fim.
     Fora o romance que vai acontecendo aos poucos, fazendo você se apaixonar pelo casal protagonista e se você acha que os personagens secundários ficam para trás, se enganou meu bem , eles também arrasam com Deus seus conflitos e palhaçadas.
     A grossura do livro e o número de páginas podem te assustar no início,  principalmente para quem não esta acostumado a pegar um livro com muitas páginas. Mas não se preocupe porque Procura-se um marido é aquele livro que te vicia de uma forma que faz você ler em uma sentada só. 
     

quarta-feira, 12 de julho de 2017

Mulheres da Bíblia: Raquel


    Olá gente linda,  tudo bem com vocês?  Eu queria agradecer a vocês pelos comentários no post que falava sobre Rebeca. Muito obrigada.  Hoje eu vim falar sobre mais uma dessas maravilhosas mulheres de Deus, espero que vocês gostem e aproveitem a leitura. 


     A Bíblia relata que Jacó e Raquel se conhecerem quando a moça trouxe as ovelhas do seu pai para beber água em um poço aonde Jacó estava. Ao que parece, Raquel e Jacó se apaixonaram a primeira vista, pois ele logo a beija. ( Gênesis 29:11). Todo apaixonado, Jacó promete a Labão, pai de Raquel, que trabalharia sete anos para ganhar o direito de se casar com a moça. 
     Passado os setes anos, chega o grande dia. O casamento aconteceu segundo a tradição local daquela época, ao qual só os homens poderiam participar da festa e a noiva deveria ficar numa tenda escura até que o noivo chegasse e eles tivessem a noite de núpcias, porém as “luzes” não poderiam ser acesas até o amanhecer.
     Só no outro dia que Jacó percebeu que a jovem ao seu lado na cama não era Raquel, sua amada, e sim Léia, a irmã mais velha de Raquel. Isso ocorreu, porque naquela época, as filhas mais velhas deveriam se casar antes das mais novas.
     E depois de uma semana do casamento de Léia, Raquel e Jacó se casaram. Deus pode ter tolerado a poligamia no Antigo testamento porque o povo não tinha plena compreensão da vontade de Deus em relação ao casamento e porque esse povo era duro de coração. Mas voltando a história, Raquel deve ter ficado muitos frustrada, angustiada e quem sabe até com raiva. Pois ela teve sete anos de grandes expectativas para se casar com o amor da sua vida e por culpa do pai não pode na hora certa.
    Por isso,  a rivalidade e o ciúmes entre Léia e Raquel, ou talvez o desejo de vingança dela contra seu pai por aquele acontecimento deve ter causado uma grande tensão familiar . Além disso,  Raquel era estéril, isso aumentou o ciúmes que tinha de Léia, tanto que ela acabou entregando suas servas para que gerasse filhos por ela. Por fim, em um determinado tempo Raquel deu a luz a José, que se tornou o filho favorito de Jacó. 
     Quando Jacó decidi voltar para sua terra Natal, Raquel pega os ídolos do pai sem que ninguém soubesse. Ela furtou os ídolos não para adora-Los mas porque visava um ganho econômico. Pois segundo as descobertas arqueológicas, quem tivesse a posse de tais ídolos tinha uma porção dupla da herança quando o pai morresse. 
      Na hora em que Labão descobriu que alguém havia roubado seus ídolos, resolveu ir atrás de Jacó e sua família. Mas quando ele foi procurar no alforje que Raquel estava sentada, ela alegou que estava fraca por conta do período menstrual.
     Após algum tempo ela engravidou novamente, porém durante o parto de Benjamin, ela acabou morrendo. Raquel foi enterrada em Belém. Apesar de todas as falhas que ela cometeu, Jacó não deixou de amar ela, muito menos Deus. Tanto que até hoje ela é reconhecida como filha do Senhor. 
     As vezes por conta das suas falhas, você acha que Deus não te ama mais ou que Ele não vai te perdoar. Mas não se esqueça que Deus é misericordioso e deu o seu único filho por amar você. Se você falar com Ele de coração aberto, com sinceridade, Ele certamente irá te ouvir e te responder. 
      Beijos e até a próxima. 
      Fiquem com Deus. 
 

terça-feira, 11 de julho de 2017

Inspirações de looks com Blazer Branco

     Oi gente, tudo bem com vocês? Hoje eu vim trazer um post de inspirações de looks com blazer branco para vocês usarem. Espero que vocês gostem. 




 
 
 
 
 

     Como vocês puderam ver, o blazer branco combina com praticamente todos os tipos de roupas. Isso quer dizer que da pra você usar e abusar. 
    Não se esqueçam de me dizer nos comentários qual foi sua inspiração favorita. 
          Beijão e até a próxima. 

sexta-feira, 7 de julho de 2017

Resenha: O Acordo (Elle Kennedy)

     Oi gente, tudo bem com vocês?  Eu gostaria de agradecer pelos comentários da postagem anterior e também da última resenha que fiz,  vocês são uns amores  <3 .
Hoje eu decidi trazer outra resenha e é de um livro que eu estava louca para ler. Já vou avisando que eu tive sérios problemas na hora de escrever, pensa num bloqueio mas eu espero que vocês gostem. 
Título: O Acordo 
Autor (a): Elle Kennedy 
Série: Amores Improváveis 
Páginas: 360
Editora: Editora Paralela 
Aonde comprar: Saraiva ● Amazon ● Americanas ● Livraria Cultura ●

Sinopse 
Tocante, profundo, engraçado, sexy... ''O Acordo" é um romance que vai te encantar e surpreender a cada página.
Hannah Wells finalmente encontrou alguém que a interessasse. Mas, embora seja autoconfiante em vários outros aspectos da vida, carrega nas costas uma bagagem e tanto quando o assunto é sexo e sedução. Não vai ter jeito: ela vai ter que sair da zona de conforto Mesmo que isso signifique dar aulas particulares para o infantil, irritante e convencido capitão do time de hóquei, em troca de um encontro de mentirinha.
Tudo o que Garrett Graham quer é se formar para poder jogar hóquei profissional. Mas suas notas cada vez mais baixas estão ameaçando arruinar tudo aquilo pelo qual tanto se dedicou. Se ajudar uma garota linda e sarcástica a fazer ciúmes em outro cara puder garantir sua vaga no time, ele topa. Mas o que era apenas uma troca de favores entre dois opostos acaba se tornando uma amizade inesperada. Até que um beijo faz com que Hannah e Garret precisem repensar os termos de seu acordo.

     Devido a alguns acontecimentos passados na vida de Hannah, ela nunca mais tinha se interessado por alguém até agora, o garoto pelo qual ela se apaixonou é um jogador de futebol americano que acabou de se mudar para a escola, mas tem um problema, ela não consegue chegar no cara. Hannah faz parte da ala artística da faculdade, é aquela garota nerd que nunca fez nada de errado, é racional, tem uma pitada de personalidade forte e de inocência. E é esse problema de não conseguir chegar no cara que ela gosta que nos leva até Garret. 
     Garret é o capitão do time de Hóquei da faculdade e filho de uma estrela dessa modalidade. Hóquei é sua vida e para poder continuar jogando ele precisa tirar boas notas, o que começa a não acontecer, graças a uma professora de filosofia. Daí então Garret tem a ideia de ter aulas particulares com a garota mais nerd da sala, que porventura, é a nossa querida Hannah. Mas tem um pequeno problema, a moça não quer dar aulas para ninguém, pois está chegando um festival ao qual  vai participar e precisa se dedicar. 
     Isso acontece até que Garret descobre por quem Hannah é apaixonada e resolve fazer um acordo com ela; Hannah da as aulas particulares que ele precisa e Garret, que é o cara mais popular da escola saíria  com ela para fazer ciúmes no cara por quem ela gosta. 
    Desde que eu botei os olhos nesse livro, eu me apaixonei. Também por ele fazer parte do gênero New Adult, ou seja, contém cenas picantes.
      A Elle soube exatamente como escrever um livro de um modo que a história saia fluida e gostosa. Tendo os personagens que te cativa do início ao fim, fazendo com que lemos o livro em um único dia. 
     O livro é cheio de clichês, mas o modo como são colocados, é o que o diferencia dos outros. Como por exemplo;  ele não vai correndo para o romance, tem um processo primeiro, fora que, os assuntos que foram abordados nos faz refletir bastante. 
       E foi isso gente, espero do fundo do meu coração que vocês tenham gostado, porque olha, foi difícil. Não se esqueçam de me contar o que achou aqui nos comentários e se tem alguma sugestão de leitura para mim. 
        Beijos e até a próxima. 

quarta-feira, 5 de julho de 2017

Mulheres da Bíblia: Rebeca



     Olá pessoal, tudo bem com vocês?  Sejam bem vindos ao post de hoje! Como toda quarta-feira, teremos a série Mulheres da Bíblia e a de hoje é Rebeca.
     Rebeca é uma das jovens mais interessantes da Bíblia,  pois ela é descrita como pura, bela, gentil e prestativa, trabalhadora, hospitaleira, compreensiva e confiável.  Tantas qualidades em uma só pessoa, e foi uma dessas qualidades que levou-a a fazer parte da aliança que Deus tinha para o seu povo.
     Ela se ofereceu para um serviço humilde; “ Então, o servo saiu-lhe ao encontro e disse: Dá- me de beber um pouco da água do teu cântaro. Ela respondeu: Bebe, meu senhor. É, prontamente, baixando o cântaro para a mão, lhe deu de beber. Acabando ela de dar de beber, disse: Tirarei água também para os teus camelos até que todos bebam.” (Gênesis 24: 17 ao 19). Isso abriu as portas para um futuro grandioso, preparado por Deus para a sua vida por meio de simples tarefas cotidianas.
     A moça era sobrinha- neta de Abraão e foi escolhida como futura esposa de Isaque, filho de Abraão.  Ser escolhida para se casar com um parente rico era considerado uma verdadeira bênção de Deus.  Seu pai e seu irmão sabiam também que era obra de Deus,  mas a decisão de deixar a casa de seu pai seria dela, isso refletia a autonomia que as jovens mulheres de sua cultura desfrutava. Pois alguns contratos de casamento para serem firmados tinham que ter o consentimento da noiva, como Abraão mesmo reconheceu.
     Rebeca aceitou se casar com Isaque sem nem sequer ter visto ele uma única vez. Mas sua coragem e sua fé motivaram-na a se aventurar do conhecido e familiar (família e amigos) para o desconhecido (uma nova vida em terra estrangeira). E Deus recompensou a fidelidade de Rebeca com um casamento monogâmico  (que tem um só cônjuge e era muito difícil de existir naquela época), que teve início com romantismo e amor.
     Depois de algum tempo, Rebeca deixou de ter reverência, respeito, e submissão ao marido e na demonstração do favoritismo por um de seus filhos, trouxe rivalidade, engano, e contenda. A fé de sua juventude se abalou, fazendo com que tomasse nas mãos as rédeas do futuro de seus filhos. Pois ela tinha o discernimento de que Esaú era mundano e aventureiro e Jacó tinha um maior potencial para ter uma sensibilidade espiritual.
     Mesmo que todas as suas intenções fossem boas e puras em relação a enganar o marido, ela não tinha desculpa. Ela deu um péssimo exemplo para  seus filhos é isso causou uma enorme tragédia, como consequência, Rebeca pagou o preço de viver seus últimos dias longe do seu filho amado, também enfrentaria a quebra de um relacionamento com seu marido que a amou com tanta devoção. 
      Por isso, você aí que está lendo, não perca as belas qualidades que Deus te deu. Rebeca na sua juventude se destacava por ser diferente, mas perdeu isso com o tempo. Você está se destacando por ser diferente?  Você vai deixar que o medo do que as pessoas vão pensar levem a autenticidade que Deus te  deu? 
     Esse foi o post de hoje, espero que vocês tenham gostado. Não se esqueça de me contar o que achou nos comentários.
     Beijos, fiquem com Deus e até a próxima. 

terça-feira, 4 de julho de 2017

Moda Vintage

     Oi meus moranguinhos (seguidores e pessoas que sempre estão aqui) e a você que está visitando meu blog pela primeira vez, seja bem vindo. Hoje eu decidi inovar e vim falar de moda, precisamente da moda vintage.
    A moda vintage, nada mais é, do que tudo aquilo  (roupas, acessórios e etc) com 20 anos até 100 anos de idade. São mais conhecidos como as tendências dos anos de 1920, 1930, 1940, 1950 e 1960. 
   Eu trouxe exemplos das roupas usadas nessas épocas, para que vocês se apaixonem e quem sabe se inspirar nada na hora de montar seus looks.

1920
     A silhueta dos anos 20 era mais tubular, os vestidos de se tornaram mais curtos e sem os espartilhos do século XIX. Os vestidos eram mais leves, elegantes, na maioria das vezes de seda e com os braços e costas a mostra. E vale ressaltar que as mulheres que era consideradas sensuais eram aquelas que quase não tinham seios, não tinham curvas e tinham o quadril pequeno.





1930
        Se nos anos 20 as mulheres eram sem curvas, nos ano 30, a moda se torna sóbria, seria, mas sofisticada.  As saias passaram a ficar até o tornozelo e os vestidos ficaram restos e justos. Muitos dos vestidos daquela época tinham um decote imenso atrás, até mesmo os de usar de dia, as saias eram juntas no quadril, foi a primeira vez na história que as roupas revelavam as formas das nádegas .




1940
As roupas dos anos  40 tinham ombros arredondados, mangas largas, corpetes cheios com cintura moldada, a silhueta estreita e cintura marcada. Suas saias eram retas com pregas invertidas para facilitar o movimento, foi nesses anos também que a  calça passou a ser utilizada. E foi nessa época que começaram a surgir as fotografias de pin-ups usando lingeries, o que fizeram as peças ter valor.



1950
    As saias e os vestidos da década possuíam o comprimento abaixo dos joelhos e normalmente tinha a cintura bem marcada e as saias volumosas e rodadas. Os sapatos  de salto altos, luvas, lenços, joias e maquiagens não poderiam faltar. A maquiagem era rímel, delineado e na maioria das vezes um batom vermelho. Os anos 50 ficaram conhecidos como “anos dourados” a época em que a moda esbanjava glamour e feminilidade.




                                   1960
Era o fim da moda única, que passou a ter várias propostas e a forma de se vestir se tornava cada vez mais ligada ao comportamento. A grande criação foi a minissaia, e as criações mais famosas são as minissaias, roupas de linhas retas, botas brancas, roupas “espaciais “, metálicas, fluorescente e os vestidos tubinhos.



    E foi isso gente, espero que vocês tenham gostado. Não se esqueça de me contar qual dessas épocas você achou que as roupas eram mais lindas  ( eu acho a de 50) e de deixar a sua opinião.  Até o próximo post. 



© Livros, Enfim - 2016. Todos os direitos reservados.
Design por: Moda e Poesias
imagem-logo